Cenários Prospectivos das Universidades Corporativas no Brasil - 2030

Eduardo Spada Spada, Sergio Henrique Arruda Cavalcante Forte

Abstract


Em um ambiente altamente competitivo, o desenvolvimento de habilidades pessoais críticas aos negócios é fator crucial para a perenidade das organizações. Para isto, ao longo dos anos, as instituições empresarias públicas e privadas brasileiras têm procurado estimular e investir na formação profissional e nas habilidades dos funcionários e parceiros institucionais. O presente trabalho contempla a elaboração de cenários prospectivos para as universidades corporativas no Brasil para os próximos 13 anos (2017-2030) visando subsidiar as organizações brasileiras para enfrentarem qualquer uma dessas possibilidades da melhor forma possível ou, até mesmo, criar condições para que se modifiquem suas probabilidades de ocorrência no sentido favorável às organizações a que elas pertencem. A natureza desta pesquisa configura-se como qualitativa e descritiva com a aplicação de um questionário a um grupo de especialistas e pesquisadores, de acordo com o modelo de prospecção de cenários prospectivos, tendo sido identificadas 16 variáveis, das quais 14 pertencem ao cenário otimista/realista e apenas duas ao cenário pessimista, possibilitando às Universidades Corporativas compor suas estratégias de médio e longo prazos, reduzindo suas vulnerabilidades.


Keywords


Educação corporativa; Universidade corporativa; Cenários prospectivos

References


ABEL, A. L.; LI, J. Exploring the corporate university phenomenon: Development and implementation of a comprehensive survey. Human Resource Development Quarterly, v. 23, n. 1, 2012, p. 103-128

ALLEN, M.; MCGEE, P. Measurement and evaluation in corporate universities. New Directions for Institutional Research, [S. l.], n.124, Winter 2004, p. 81-92.

ALPERSTEDT, C. Universidades corporativas: discussão e proposta de uma definição. RAC - Revista de Administração Contemporânea, v. 5, n. 3, p. 149-166, set./dez. 2001.

BAÑULS, V. A.; TUROFF, M. Scenario construction via Delphi and cross-impact analysis, Technological Forecasting & Social Change, v. 78, n. 9, p. 1579-1602, 2011.

BARBOSA, J. A. S. Universidades corporativas e vantagens competitivas: um estudo multicaso em franquias brasileiras. Tese (Doutorado). São Paulo: Universidade Corporativa, 2016

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Trad. Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. São Paulo: Edições 70, 2011.

BEZOLD, C. Lessons from using scenarios for strategic foresight. Technological Forecasting & Social Change, v. 77, n. 9, p. 1513-1518, 2010.

BERGER, G. Phénoménologie du temps et prospective. Paris: PUF, 1964.

BLANNING, R. W.; REINIG, B. A. Building Scenarios for Hong Kong Using EMS. Long Rang Planning, v. 31, n.6, p. 900-910, 1998.

BRASIL. Secretaria de Planejamento de Longo Prazo. Histórico de planejamento de longo prazo no Brasil. 2007b. Disponível em: . Acesso em: 20 de out. 2007b.

CASTRO, C. de M.; EBOLI, M. Universidade corporativa: gênese e questões críticas rumo à maturidade. São Paulo, Revista de Administração de Empresas - RAE, São Paulo, v. 53, n.4, jul-ago, 2013.

CAVALCANTI. M. Gestão estratégica de negócios: evolução, cenários, diagnóstico e ação. São Paulo: Thomson Learning, 2001.

COATES, J.; DURANCE, P.; GODET, M. Strategic Foresight Issue: introduction. Technological Forecasting & Social Change, v. 77, n. 9, p. 1423-1425, 2010.

DELLOITE. Investimento em educação corporative desponta como alternative para melhorar a qualificação de profissionais - 2016. Disponível em https://www2.deloitte.com/br/pt/footerlinks/pressreleasespage/pesquisa-educacao-corporativa-no-brasil.html>. Acessado em 15.10.2017.

DESTATTE, P. Foresight: A major tool in tackling sustainable development. Technological Forecasting & Social Change, v. 77, n. 9, p. 1575-1587, 2010.

DURANCE, P.; GODET, M. Scenario building: uses and abuses. Technological Forecasting & Social Change, v. 77, n. 9, p. 1488-1492, 2010.

EBOLI, M. Educação Corporativa no Brasil: mitos e verdades. São Paulo: Gente, 2004.

EBOLI, M. Educação Corporativa e desenvolvimento de competências. In: DUTRA J. S.; FLEURY, M. T. L.; RUAS, R. L. Competências: conceitos, métodos e experiências. São Paulo: Atlas, 2008.

EBOLI, M. Uma Revolução Invisível. Harvard Business Review (S.I.), p. 74-85, jun. 2012.

FREITAS-DIAS, C. A. de; ALBUQUERQUE, L. G. de. Panorama de avaliação de Resultados em educação corporativa no Brasil, R. Adm. Faces Journal, Belo Horizonte, v. 13, n. 1, p. 103-123, jan/mar, 2014.

FREITAS FILHO, H.; OLIVEIRA, M.; SACCOL, A. Z. MOSCAROLA, J. O método de pesquisa survey. Revista de Administração da USP, São Paulo, v. 35, n. 3, p. 105-112, jul./set. 2013.

GLOBALCCU 2017. CCU Awards.Disponível em: . Acessado em 28.07.2017

GODET, M. Manual de prospectiva estratégica: da antecipação a ação. Lisboa: Dom Quichote, 1993.

GODET, M.; ROUBELAT, F. Scenario Planning: An Open Future. Technological Forecasting and Social Change. v. 65, n.1, p. 1-124, 2000.

GODET, M. Future memories. Technological Forecasting & Social Change, v. 77, n. 9, p. 1457-1463, 2010.

GRACHT, H. A. V. D.; DCKIOL, I. L. Scenarios for the logistics services industry: A Delphi-based analysis for 2025. International Journal of Production Economics, v. 127, n. 1, p. 46-59, 2010.

GUERCI, M; BARTEZZAGHI,E.; SOLARI, L. Training evaluation in Italian corporate universities: a stakeholder-based analysis, International Journal of Training and Development, v. 14, n. 4, 2010

HEIJDEN, K. V. D. Planejamento de cenários: a arte da conversação estratégica. Porto Alegre: Bookman, 2004.

KAHN, H. A escalada, metáforas e cenários. Rio de Janeiro: Bloch, 1969.

KIRKPATRICK, D. L.; KIRKPATRICK, J. D. Como avaliar programas de treinamento de equipes: os quatro níveis. Tradução José Henrique Lamensdorf. Rio de Janeiro: Senac Rio, 2010.

MALHOTRA, N. K. et al. Introdução à pesquisa de marketing. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005.

MARCIAL, E. C.; GRUMBACH, R. J. S. Cenários prospectivos: como construir um futuro melhor. Rio de Janeiro: FGV, 2002.

MARINELLI, M. Autoavaliação institucional: estudo de sistemas de educação corporativa bancos de desenvolvimento brasileiros. (Tese de doutorado). Fortaleza: UFC, 2013

MARTINS, P. P. P.; BOAVENTURA, J. M. G.; COSTA, B. K.; SPERS, R. G.; FISCHMANN, A. A. Cenários para o setor de transportes rodoviários de cargas no Brasil. In: ENCONTRO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS, 4., 2009, Recife. Anais... Recife: ANPAD, 2009.

MATITZ, Q. R. S.; BULGACOV, S. O Conceito Desempenho em Estudos Organizacionais e Estratégia: um Modelo de Análise Multidimensional. RAC - Revista de Administração Contemporânea, vol.15, n.4, p. 580-607, jul./ago. 2011.

MATTAR, F. N. Pesquisa de marketing. São Paulo: Atlas, 1996.

MEISTER, J. C. Educação Corporativa. Trad. Maria Claudia Santos Ribeiro Ratto. São Paulo: Pearson Makron Books, 1999.

MORIN, L.; RENAUD, S. Participation in corporate university training: its effect on individual job performance. Canadian Journal of Administrative Sciences, v. 21, n.4, p. 295-306, 2004.

MORITZ, G. O. Planejando por Cenários Prospectivos: a construção de um referencial metodológico em um estudo de casos. 2004. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) – Programa de Pós-Graduação, UFSC, Florianópolis, 2004.

OLIVEIRA, O. V.; FORTE, S. H. A. C. Cenários Prospectivos da Indústria Bancária Brasileira: identificação dos recursos competitivos de utilização mais provável. In: ENCONTRO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS, 4., 2009, Recife. Anais... Recife: ANPAD, 2009.

OLIVEIRA, O. V.; FORTE, S. H. A. C. Identificação dos recursos competitivos de utilização mais provável pela indústria bancária brasileira de 2008 a 2012. Revista de Administração, São Paulo, v. 46, n. 3, p. 243-257, jul./ago./set. 2011.

PARKER, Phill. The Future ofthe Corporate University. Disponível em . Acesso em 23.07.2017.

PATON, R.; TAYLOR S.; STOREY, J. Corporate Universities and Leadership Development In: STOREY, J. (ed.). Leadership in Organisations: current issues and key trends. London: Routledge, 2004.

PNUD. Programa das Nações Unidas Para o Desenvolvimento. Objetivos de desenvolvimento para o milênio. Disponível em: . Acesso em: 20 out. 2007.

RANGEL, E. P. Desenvolvimento de uma análise sistêmica de cenários prospectivos para o setor de pelotas de minério de ferro brasileiro. 2012. Dissertação (Mestrado em Engenharia Metalúrgica) – Escola de Engenharia, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, 2012.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Editora Saraiva, 1999.

RODRIGUEZ, M. V. Existe diferença entre universidade corporativa e centro de treinamento? Disponível em: . Acesso em: 10 out. 2016.

SILVA, A. T. B. et al. A Elaboração de Cenários na Gestão Estratégica das Organizações: um Estudo Bibliográfico. In: SEMINÁRIO EM ADMINISTRAÇÃO, 13. Anais..., 2010. Disponível em: . Acesso em: 5 out. 2016.

SILVA, W. R.; ALFREDO NETO. J.; SANTOS, L. A. Cenários Prospectivos como Ferramenta de Gestão no ensino Superior. 8º Congresso IFBAE. Anais...Gramado/RS – 18 e 19 de maio de 2015.

SILVERMAN, D. Interpretação de dados qualitativos: métodos para análise de entrevistas, textos e interações. Porto Alegre: Artmed/Bookman, 2009.

THOMAS, J. R.; NELSON, J. K.; SILVERMAN, S. J. Métodos de pesquisa em atividade física. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

WACK, P. Scenarios: uncharted waters ahead. Harvard Business Review, p. 72-89, Sept./Oct, 1985.

WRIGHT, P.; KROLL, M. J.; PARNELL, J. Administração estratégica: conceitos. São Paulo: Atlas, 2000.




DOI: https://doi.org/10.24023/FutureJournal/2175-5825/2018.v10i2.368

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM




Copyright (c) 2018 Future Studies Research Journal: Trends and Strategies

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Future Stud. Res. J. e-ISSN: 2175-5825

Mailing Address: Avenida das Nações Unidas, 7221 - CEP 05425-070 - Pinheiros - São Paulo/SP - Brasil

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.