PROSPECTING PHARMACEUTICAL RETAIL SCENARIOS IN FRANCA/SP IN THE PERIOD 2020-2024

Authors

  • Cecy de Sousa Lucas Centro Universitário Municipal de Franca – Uni-FACEF, São Paulo, (Brasil).
  • Alfredo José Machado Neto Centro Universitário Municipal de Franca – Uni-FACEF, São Paulo, (Brasil).

DOI:

https://doi.org/10.24023/FutureJournal/2175-5825/2022.v14i1.616

Keywords:

Prospecting scenarios. Pharmaceutical retail. Strategic planning. Public policies in the pharmaceutical sector.

Abstract

At the end of the 19th century, the development of the pharmaceutical sector in Europe began, considered one of the industrial sectors that is most sustained on the basis of research and development. The IQVA Institute 2019 Report places Brazil as the seventh largest pharmaceutical market in the world, in the year 2018. Therefore, this study aims to develop prospective scenarios for the pharmaceutical sector, in the city of Franca/SP, in the period five years (2020-2024), providing important information for the sector's strategic planning. An exploratory and descriptive research was carried out, in several texts that address the theme, to support the prospecting of scenarios. The following were used: the Delphi method for data collection; the Blaining and Reinig Prospecting Model; and the Cross Impact Matrix to detect the driving forces of the sector. As a result, three probabilities of future scenarios for the sector are presented: Optimistic; Pessimistic; and Realistic.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biographies

Cecy de Sousa Lucas, Centro Universitário Municipal de Franca – Uni-FACEF, São Paulo, (Brasil).

Mestre em Desenvolvimento Regional pelo Centro Universitário Municipal de Franca – Uni-FACEF, São Paulo, (Brasil).

Alfredo José Machado Neto, Centro Universitário Municipal de Franca – Uni-FACEF, São Paulo, (Brasil).

Professor e Doutor no Mestrado em Desenvolvimento Regional pelo Centro Universitário Municipal de Franca – Uni-FACEF, São Paulo, (Brasil).

References

ALMEIDA, F. C. de; ONUSIC, L. M.& MACHADO NETO, A. J.(2005). Proposições e experimentos sobre o método de análise de cenários no varejo brasileiro. Anais Cladea Asamblea Anual.

ALVIM, M. M.(2004). Vigilância sanitária do comércio varejista de medicamentos no município de Barra Mansa, estado do Rio de Janeiro: licenciamento, autorização de funcionamento, responsabilidade técnica e suficiência dos quadros locais. Dissertação da Pós-Graduação em Vigilância Sanitária. INCQS/FIOCRUZ, Rio de Janeiro.

ANSOFF, H. I. & McDONNELL, E. J.(1993) Implantando a administração estratégica. Tradução de Antonio Zoratto Sanvicente; Guilherme Ary Plonsky. 2.ed. São Paulo: Atlas.

ARAÚJO, L. U. et al. (2010).Medicamentos genéricos no Brasil: panorama histórico e legislação. Rev. Panam Salud Publica. 28, (6), p.480–492.

AULICINO, A. L. (2002). Identificacao de problemas potenciais na construcao de cenarios e na formulacao de estrategias em uma organização: proposição de um método – um estudo de caso. Dissertação de Mestrado em Administração. Faculdade de Economia e Administração de São Paulo: FEA/USP, São Paulo , SP, Brasil.

BARROS, T. F. (2018). As atividades de marketing no varejo farmacêutico: um estudo em farmácias independentes e redes. Tese de Doutor em Ciências. Programa de Pós Graduação em Administração. Fac. de Economia, Administração e Contabilidade (FEA). São Paulo,Brasil.

BIAZÚS, M. A. (2008). Estrutura e organização da cadeia de suprimento de insumos para fitoterápicos. Dissertação de Mestrado em Administração. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, Brasil.

BLANNING, R. W. e REINIG, B. A. (1986). Building scenarios for Hong Kong using EMS. Long Rang Planning, 31, (6), p. 900-910.

BODINI, V. L. (2001). Uso da análise estrutural prospectiva para a identificação de fatores condicionantes da competitividade na agroindústria brasileira. Tese de Doutorado em Engenharia de Produção. Universidade Federal de Santa Catarina. Programa de Pós-Graduação de Engenharia de Produção. Florianópolis,Brasil.

BRESSER-PEREIRA, L. C. (1968). Desenvolvimento e crise no Brasil 1930-1967. 1. ed., Rio de Janeiro: Zahar Editores.

BUARQUE, S. H. (2003). Metodologia e técnicas de construção de cenários regionais. IPEA- Inst. Pesq. Econ. Aplicada. Brasília.

CALLEGARI, L. (2000). Análise setorial. A indústria farmacêutica. São Paulo: Gazeta Mercantil.

CAMARA, E. C.; LARA, J. E. & SOUSA; C. V. (2015). Estratégicas de orientação para o mercado no varejo farmacêutico: um estudo no estado de Minas Gerais. 16, (3), 516-533. Gestão & Planejamento, Salvador.

CARVALHO, A, A. P. de; NISHIOKA, L.Y. & ANDREOTTI, M. R. (2009). Consultoria administrativa, financeira e contábil no ramo farmacêutico: Drogaria Boa Vista de Lins Ltda – ME. Monografia do Trabalho de Conclusão de Curso em graduação de Ciências Contábeis. Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium – UNISALESIANO, Lins/SP.

CRF-MG. Conselho Regional de Farmácia do Estado de Minas Gerais. (2019). História da Farmácia. Retirado em 15 de junho, de http://www.crfmg.org.br/externo/institucional/historia_historia.php.

CRF-SP. Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo (2019). Surgimento das boticas. Retirado em 22 de junho, de http://www.crfsp.org.br/historia-da-farmacia-/290-surgimento-das-boticas.html.

CFF. Conselho Federal de Farmácia. (2019). Dados 2018. Retirado em 03 de julho, de http://www.cff.org.br/pagina.php?id=801&menu=801&titulo=Dados+2018.

DA VEIGA, C. R. P., DA VEIGA, C. P., DEL CORSO, J. M., & DA SILVA, W. V. (2012). The Dynamics of Technological Innovation in the Brazilian Pharmaceutical Industry: The Roles of Demand-pull, Technology-push and Government Incentives. REGE Revista De Gestão, 19(4), 515-534.

DAS, P.; HORTON, R..(2016). Essential medicines for universal health coverage. The Lancet, London, UK. Nov., 2016. Retirado em 01 de agosto, de http://apps.who.int/medicinedocs/documents/s23080en/s23080en.pdf.

DORO, T. M. S. (2012). Cisnes negros e saltos altos: prospecção de cenários para a indústria de calçados femininos de Franca - SP no horizonte 2011-2020. Dissertação de Mestrado Acadêmico Interdisciplinar em Desenvolvimento Regional. Uni-FACEF Centro Universitário Municipal de Franca, Franca, SP, Brasil.

FISCHMANN, A. A. & ALMEIDA, M. I. R. de. (1990). Planejamento estratégico na prática. São Paulo: Atlas.

FLECK, C. F. (2011). A tríade ensino-pesquisa-extensão e os vetores para o desenvolvimento regional. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional. G&DR. 7, (3), p. 270-298, Taubaté, SP, Brasil.

FURTADO, C.. (2000). Introdução ao desenvolvimento – enfoque histórico - Estrutural. 3 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

FURTADO, W. & FRANCO, A. A. (2011). Decisão de compra: fatores iguais, pesos diferentes; visão do consumidor, sobre as pequenas e grandes redes de Farmácia. Revista de Gestão, Finanças e Contabilidade, UNEB, Salvador, 1,(1),35-47.

GDIMATA. Estudo setorial farmacêutico. 2013. Recuperado em 13 de junho, 2019, de http://www.gdimata.com.br/wp-content/uploads/2016/04/Estudo-setorial-Farmac%C3%AAutico.pdf.

GIACOBBO, M. (1997). O desafio da implementação do planejamento estratégico nas organizações públicas. Revista TCU - Tribunal de Contas da União. 74, 73-107.

GODET, M. (2007). Manuel de prospective stratégique. Tome 2: L’Art et la méthode: Cap. 4: La méthode des scénarios. pp. 109 – 153. 427 p. 3 ed. Paris: Dunod.

GUIA DA FARMÁCIA. Revista dirigida aos profissionais da saúde. Brasil é o sexto maior mercado farmacêutico do mundo. (2019). Retirado em 30 de julho, de https://guiadafarmacia.com.br/materia/brasil-e-o-sexto-maior-mercado-farmaceutico-do-mundo/.

GUIA 2019 INTERFARMA. Baixe o Guia 2019. (2019). Recuperado em 01 de setembro, de https://www.interfarma.org.br/guia/guia-2019/.

HIRATUKA, C. (coord.).(2013) Logística Reversa de Medicamentos. ABID. Agencia Brasileira de Desenvolvimento Industrial. Brasília, 2013. Retirado em 27 de junho de 2019, de https://www.researchgate.net/publication/260422373_Logistica_reversa_para_o_setor_de_medicamentos.

KATREIN, F. et al. (2015) Desigualdade no acesso a medicamentos para doenças crônicas em mulheres brasileiras. Cad. Saúde Pública, 31, (7), pp. 1416-1426. Rio de Janeiro.

KORNIS, G. E. M.; BRAGA, M. H.& ZAIRE, C. E. F. (2008). Os marcos legais das políticas de medicamentos no Brasil contemporâneo (1990-2006). Rev. APS, 11, (1), p. 85-99.

KOTLER, P. & CASLIONE, J. A. (2009). Vencer no caos: lições do guru de administração e marketing para uma gestão eficaz em tempos de turbulência. Tradução de Afonso Celso da Cunha Serra. Rio de Janeiro: Elsevier.

LAS CASAS, A. L. & GARCIA, T. M. (2007). Estratégias de marketing para varejo. Inovações e Diferenciações Estratégicas que Fazem a Diferença no Marketing de Varejo. São Paulo: Novatec.

LINDKVIST, M. (2010). O guia do caçador de tendências: como identificar as forças invisíveis que moldam os negócios, a sociedade e a vida. Tradução de Leonardo Abramowicz. São Paulo: Ed. Gente.

MAIA, P. A. (2012). Práticas terapêuticas jesuíticas no império colonial português: medicamentos e boticas no século XVIII. Tese de Doutorado em História. Departamento de História da Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. USP, São Paulo.

MARÇAL, C. A. M. (2008). A avaliação de desempenho empresarial: o passo seguinte à implementação do sistema de gestão. Dissertação de Mestrado em Gestão Empresarial. Fundação Getúlio Vargas (FGV). Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas. Rio de Janeiro, RJ.

MARCIAL, E. C. & GRUMBACH, R.. S. (2002). Cenários prospectivos: como construir um futuro melhor. Rio de Janeiro: FGV.

MARCIAL, E. C.& GRUMBACH, R.. S. (2005). Cenários prospectivos: como construir um futuro melhor. 3 ed. Rio de Janeiro: Editora FGV.

MARCIAL, E. C. & GRUMBACH, R.. S. (2006). Cenários prospectivos: como construir um futuro melhor. 4. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV.

MATTAR, F. N. (2011). Administração de varejo. Rio de Janeiro: Elsevier.

MAXIMIANO, A. C. A. (2000). Introdução à administração. 5. ed. São Paulo: Atlas.

MESQUITA, M. de; SANTORO, M. C. (2004). Análise de modelos e práticas de planejamento e controle da produção na indústria farmacêutica. 14, (1),64-77. Retirado em 26 de junho de 2021, de: <https://doi.org/10.1590/S0103-65132004000100007>.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. (2019). Farmácia Popular. Retirado em 15 de julho, de http://portalms.saude.gov.br/acoes-e-programas/farmacia-popular.

MIETZNER D. & REGER, G. (2005). Advantages and disadvantages of scenario approaches for strategic foresight. Int. J. Technology Intelligence and Planning, 1, (2), 220 – 240.

MONTEIRO NETO, A.; CASTRO, C. N. de, & BRANDÃO, C. (2017). Desenvolvimento regional no Brasil: políticas, estratégias e perspectivas. Rio de Janeiro: Ipea.

MORITZ, G. de O. e PEREIRA, Mauricio F. (2005). Planejamento de cenários: a evolução do pensamento prospectivo. Revista de Ciências da Administração, v.7, n.13.

MORITZ, G. de O. ; NUNER, R. & PEREIRA, M. F. (2008). Os métodos de prospecção de cenários e sua aplicação nas organizações: um estudo de caso no período 1998-2008. FACES Revista Administração. Belo Horizonte, 7, (2), 68-83.

OLIVEIRA, G. B.; & LIMA, J. E. S. (2003). Elementos endógenos do desenvolvimento regional: considerações sobre o papel da sociedade local no processo de desenvolvimento sustentável. Revista FAE. 6, (2), p. 29-37, Curitiba.

OMS. Organização Mundial da Saúde. África. Roteiro para o acesso 2019-2023. Apoio abrangente para o acesso a medicamentos e vacinas. AFR/RC68/11, jul. 2018. Retirado em 02 de agosto, de https://www.afro.who.int/sites/default/files/2018-07/AFR-RC68-11%20Roteiro%20do%20apoio%20ao%20acesso%20aos%20medicamentos%20e%20vacinas%20em%202019-2023.pdf.

PANORAMA FARMACÊUTICO. (2019) O que esperar no setor farmacêutico em 2018. Retirado em 30 de julho, de: https://panoramafarmaceutico.com.br/2018/02/08/o-que-esperar-no-setor-farmaceutico-em-2018/.

PARENTE, J.(2000). Varejo no Brasil: gestão e estratégia. São Paulo: Atlas.

PINHEIRO, A. C. M. (2005). Gerenciamento de estoque farmacêutico. Revista eletrônica de Contabilidade. 1,(3).

PINTO, A. C. & BARREIRO, E. J. (2013). Desafios da indústria farmacêutica brasileira(36, n. 10, pp. 1557-1560). São Paulo : Quim. Nova.

PORTER, M. (1989). Vantagem competitiva: criando e sustentando um desempenho superior. Rio de Janeiro: Editora Campus.

REZENDE, I. N. de. (2015). Literatura, história e farmácia: um diálogo possível. História, Ciências, Saúde. 22, (3), p. 813-828. Manguinhos, Rio de Janeiro.

SAUDE BUSINESS.(2011) Farmácia Popular cresce 45% no primeiro mês. Retirado em 24 de julho, de https://saudebusiness.com/gestao/farmacia-popular-cresce-45-no-primeiro-mes/.

SCHOEMAKER, P. J. H. & VAN DER HEIJDEN, C. A. J. M (1992). Integrating Scenarios into Strategic Planning at Royal Dutch/Shell. Strategy & Leadership. 20,(3), 41 -46.

SCHWARTZ, P.(2003). Cenários: as surpresas inevitáveis. Rio de Janeiro: Campus.

SCHWARTZ, P.(2006) A arte da visão de longo prazo: caminho para um insight estratégico para você e sua empresa. Trad. Luiz Fernando M. Esteves. 4 ed. Rio de Janeiro: Editora Best Seller.

SILVA, F. de A & GONCALVES, C. A.(2011). O processo de formulação e implementação de planejamento estratégico em instituições do setor público. Revista de Administração da Universidade Federal de Santa Maria, 4, (3), 458-476.

STREBEL, P.(1993). Breakpoints: como as empresas exploram mudanças radicais nos negócios. Tradução de Vidal Varella Filho. 249 p. São Paulo: Atlas.

VARISE, E. M.(2007). Ações conjuntas no varejo farmacêutico: cenário de Mudanças. Dissertação de Mestrado Profissional. Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Faculdade de Engenharia Mecânica. Campinas, SP.

VAROTTO, L. F.(2018) Varejo no Brasil – resgate histórico e tendências. Brazilian Journal of Marketing – BJM. Revista Brasileira de Marketing – ReMark. 17, (3). São Paulo.

WACK, P.(1985). Scenarios: shooting the rapids. Harvard Business Review.

WULF, P. & Meissner T (2015). The development of strategy scenarios based on prospective hindsight: an approach to strategic decision making. Journal of Strategy and Management, vol. 8, n. 2, p. 176-190. Retirado em 13 setembro de 2020, <http://www-emeraldinsight-com.ez15.periodicos.capes.gov.br/doi/pdfplus/10.1108/JSMA-01-2015-0004.

Published

2022-02-27

How to Cite

de Sousa Lucas, C., & Machado Neto, A. J. (2022). PROSPECTING PHARMACEUTICAL RETAIL SCENARIOS IN FRANCA/SP IN THE PERIOD 2020-2024. Future Studies Research Journal: Trends and Strategies, 14(1), e0616. https://doi.org/10.24023/FutureJournal/2175-5825/2022.v14i1.616

Issue

Section

Artigos / Articles