Tecnologia e Competências Tecnológicas em Educação a Distancia: Um Estudo Exploratório

Dimária Silva e Meirelles, Felix Hugo Aguero Diaz Leon, Luciano Augusto Pereira dos Santos, Rachel Neves Dias Francisco

Abstract


Esta pesquisa teve como objetivo geral identificar os elementos componentes das competências tecnológicas em serviços por meio do estudo do uso da tecnologia e seus impactos nas práticas organizacionais. A abordagem de pesquisa incluiu uma etapa qualitativa, baseada em entrevistas com desenvolvedores, usuários e gestores de tecnologia. A principal contribuição da pesquisa foi a identificação das tecnologias utilizadas a partir de uma perspectiva que reúne tanto a perspectiva do usuário quanto do desenvolvedor, onde são analisados os desdobramentos em termos de práticas organizacionais e desempenho no segmento de Educação a Distância (EAD). A análise das entrevistas sugere que ainda há resistência na adoção da tecnologia e o desenvolvimento da competência tecnológica ainda encontra-se nos estágios iniciais. Nos casos em que a tecnologia é utilizada com intensidade, as mudanças nas práticas e no desempenho ocorrem indistintamente, com benefícios claros em termos de rapidez, eficiência e ganhos de escala.

Keywords


Tecnologia. Serviços. Competência Tecnológica. Educação a Distância.

References


ABED. Associação Brasileira de Educação a Distância. Disponível em: . Acesso em: 4/9/2012

Afuah, A. (2002). Mapping technological capabilities into product markets and competitive advantage: the case of cholesterol drugs. Strategic Management Journal, 23(2), 171-179.

Anderson, T., Dron, J., & Mattar, J. (2012). Três gerações de pedagogia de Educação a Distância. EAD em Foco, 2(1).

Assis, E. M. (2012). Satélites artificiais e a EAD. Litto FM, Formiga M. Educação a distância: o estado da arte. São Paulo: Pearson Education do Brasil.

Behar, P. A., Ribeiro, A. C. R., Schneider, D., SILVA, K., Machado, L. R., & Longhi, M. T. (2013). Educação a distância e competências: uma articulação necessária. Competências em Educação a Distância. Porto Alegre: Penso.

Blaikie, N. (2003). Analyzing quantitative data: From description to explanation. Sage.

Clarenc, C. A., Castro, S. M., CARMEN LÓPEZ, M. E. M., & Tosco, N. B. (2013, December). Analizamos 19 plataformas de e-Learning: Investigación colaborativa sobre LMS. In Grupo GEIPITE, Congreso Virtual Mundial de e-Learning. Site: www. congresoelearning.org.

Danneels, E. (2002). The dynamics of product innovation and firm competences. Strategic management journal, 23(12), 1095-1121.

Fernandes, R. R., Fernandes, A. P. L. M., da Silva, A. C. M., Araújo, M. O., & Cavalcante, M. C. T. (2010). Moodle: uma ferramenta on-line para potencializar um ambiente de apoio à aprendizagem no curso Java Fundamentos (JSE). VII Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia, 1-13.

Fischer, A. L. et al (2006). Absorção do conceito de competência em gestão de pessoas: a percepção dos profissionais e as orientações adotadas pela empresas. In: Dutra, J. S., Fischer, A. L., RUAS, R. D. L., & Nakata, L. E. (2006). Absorção do conceito de competência em gestão de pessoas: a percepção dos profissionais e as orientações adotadas pelas empresas. Anais do XXX EnANPAD-Encontro da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração, Salvador, BA, Brasil, 23-27.

Flores, J. G. (1994). Análisis de datos cualitativos: aplicaciones a la investigación educativa. Promociones y Publicaciones Universitarias, PPU.

Fransman, M. (1984). Technological capability in the Third World: an overview and introduction to some of the issues raised in this book. In Technological capability in the Third World (pp. 3-30). Palgrave Macmillan UK.

Ko, Hsien-Tang; Lu, Hsi-Peng. Measuring innovation competencies for integrated services in the communications industry. Journal of Service Management, v. 21, n.2, p. 162-190, 2010.

Lall, S. (1992). Technological capabilities and industrialization. World development, 20(2), 165-186.

Le Boterf, G. (2003). Desenvolvendo a competência dos profissionais. Artmed.

Machado, L. R., Longhi, M. T., & Behar, P. A. (2013). Domínio tecnológico. Competências em educação a distância. Porto Alegre: Penso, 56-80.

Maia, M. (2012). Ferramentas da Web 2.0 associadas aos LMS no ensino presencial. Litto, FM; Formiga, M. Educação a distância: o estado da arte, 2, 93-102.

McKelvey, B. (1982). Organizational systematics--taxonomy, evolution, classification. Univ of California Press.

Nelson, R. R., & Winter, S. G. (1982). An evolutionary theory of economic change. Harvard University Press.

Oakey, R. P. (2003). Technical entreprenenurship in high technology small firms: some observations on the implications for management. Technovation, 23(8), 679-688.

Orlikowski, W. J. (1992). The duality of technology: Rethinking the concept of technology in organizations. Organization science, 3(3), 398-427.

____________ (2000). Using technology and constituting structures: A practice lens for studying technology in organizations. Organization science, 11(4), 404-428..

_____________ 2002). Knowing in practice: Enacting a collective capability in distributed organizing. Organization science, 13(3), 249-273.

_____________ (2007). Sociomaterial practices: Exploring technology at work. Organization studies, 28(9), 1435-1448.

______________ (2009). The sociomateriality of organisational life: considering technology in management research. Cambridge Journal of Economics, bep058.

Patton, M. Q. (2002). Qualitative Research & Evaluation Methods.

Penrose, E. T. (2006). A teoria do crescimento da firma. Editora Unicamp.

Peters, O. (1973). A Estrutura didática da educação a distância. São Paulo: Olho dÁgua.

Ruas, R. (2005). Gestão por competências: uma contribuição à estratégia das organizações. In: Ruas, R., Antonello, C. S., & Boff, L. H. (2005). Os novos horizontes de gestão: aprendizagem organizacional e competências. Bookman Editora.

Rumble, G. (2000). A tecnologia da educação a distância em cenários do terceiro mundo. Educação a distância: construindo significados. Cuiabá: NEAD/IE–UFMT, 43-63.

Sandberg, J. (2000). Understanding human competence at work: an interpretative approach. Academy of management journal, 43(1), 9-25.

Saraiva, T. (1995). Avaliação da educação a distância: sucessos, dificuldades e exemplos. Boletim Técnico do SENAC, 21(3).

Santos, J. R. (2012). A Moodle nas práticas pedagógicas de uma escola básica: realidade ou ficção na inserção das TIC em sala de aula. Educação, Formação & Tecnologias-ISSN 1646-933X, 5(1), 72-83.

Meirelles, D. S. (2006). The concept of service. Revista de Economia Política, 26(1), 119-136.

Taylor, J. C. (2002, October). Automating e-Learning: The Higher Education Revolution. In GI Jahrestagung (pp. 64-82).

Teece, D. J., Rumelt, R., Dosi, G., & Winter, S. (1994). Understanding corporate coherence: Theory and evidence. Journal of Economic Behavior & Organization, 23(1), 1-30.

Versuti, A (2004). Avaliação Formativa e Qualidade em Ead. In: Anais do XI Congresso Internacional de Educação à Distância. Salvador; Bahia.

Zarifian, P. (2008). Objetivo competência: por uma nova lógica. In Objetivo competência: por uma nova lógica. Atlas.




DOI: https://doi.org/10.24023/FutureJournal/2175-5825/2017.v9i2.302

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM




Copyright (c) 2017 Future Studies Research Journal: Trends and Strategies

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Future Stud. Res. J. e-ISSN: 2175-5825

Mailing Address: Avenida Drª Ruth Cardoso, 7221 - CEP 05425-070 - Pinheiros - São Paulo/SP - Brasil

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.