A Produção Intelectual em Teoria Institucional: Análise nos Principais Periódicos Brasileiros a partir do Método Bibliométrico

Renato Fabiano Cintra, Saulo Fabiano Amâncio-Vieira, Luciano Munck

Abstract


É difícil questionar a importância de estudos que debatem teoria das organizações. O artigo identifica o perfil dos autores que publicam sobre a teoria institucional no cenário nacional, bem como as obras relevantes e citadas, a partir da bibliometria. Trata-se de uma pesquisa exploratória de caráter quantitativo descritivo. Como resultados da pesquisa têm-se: 56,8% publicaram uma vez, enquanto que 15 correspondem a 43,2% da produção total; o perfil que produz conhecimento é composto pelas seguintes características: formação em administração ou engenharia; linha de pesquisa em estratégia organizacional ou estudos organizacionais ou administração pública; doutorado ou mestrado; gênero masculino; última titulação obtida entre 2003-2010; vínculo com a FGV/SP, PUC/PR, USP/SP ou UP/PR; e celetista ou servidor público. O estudo permite destacar as obras relevantes e citadas no campo e que a RAC compõe o ‘core’ no cenário nacional, pois tem 26,9% da publicação, seguida pela BAR com 19,4%.

Keywords


Teoria Institucional; Neo-Institucional; Bibliometria.

References


Alvarado, U. R. (2002). A lei de Lotka na bibliometria brasileira. Ciência da Informação, 31(2), 14-20.

Araújo, C. A. (2006). Bibliometria: evolução histórica e questões atuais. Em Questão, 12(1), 11-32.

Berger, P. L., & Luckman, T. (2011). A construção social da realidade. Petrópolis: Vozes.

Bertero, C. O., & Keinert, T. M. M. (1994). A evolução da análise organizacional no Brasil (1961-93). Revista de Administração de Empresas, 34(3), 81-90.

Caldas, M. P. (2007). Paradigmas em estudos organizacionais: uma introdução a série. En M. P. Caldas, & C. O. Bertero (Eds.), Teoria das Organizações, São Paulo: Atlas.

Caldas, M. P., & Bertero, C. O. (2007). Teoria das Organizações. São Paulo: Atlas.

Cintra, R. F., Amâncio-Vieira, S. F., Suzuki, T., & Costa, B. K. (2014). Stakeholder theory: análise nos periódicos brasileiros a partir da bibliometria. Revista Portuguesa e Brasileira de Gestão, 13(4), 43-55.

Cunha, J. A. C., Defina, D. A., & Passador, J. L. (2014). Qualidade da produção científica no Brasil: um enfoque nos trabalhos premiados pelos congressos da ANPAD 2004-2012. Revista de Ciências da Administração, 16(38), 11-28.

DiMaggio, P. J., & Powell, W. (1983). The iron cage revisited: institutional isomorphism and collective rationality in organization fields. American Sociological Review, 48(2), 147-160.

Diniz, C. M., Junquilho, G. S., & Carrieri, A. P. (2003). A ação dos stakeholders e as tendências às práticas isomórficas em organizações do setor minero-siderúrgico: “seja um bom vizinho e sente comigo na calçada”. XXVII Encontro da ANPAD, Atibaia, São Paulo.

Giddens, A. (1984). The constitution of society. Berkeley: University of California Press.

Guedes, V. L. S., & Borschiver, S. (2005). Bibliometria: uma ferramenta estatística para a gestão da informação e do conhecimento, em sistemas de informação, de comunicação e de avaliação científica e tecnológica. VI CINFORM – Encontro Nacional de Ciência da Informação, Salvador, Bahia.

Ribeiro, I., & Serra, B. P. C. (2014). Tomada de decisão estratégica: uma análise das citações e co-citações até o ano de 2014. XXXIV Encontro da ANPAD, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Machado-da-Silva, C. L., Cunha, V. C., & Amboni, N. (1990). Organizações: o estado da arte da produção acadêmica no Brasil. XIV Encontro da ANPAD, Belo Horizonte, Minas Gerais.

Machado-da-Silva, C. L., & Gonçalves, S. A. (1999). Nota técnica: a teoria institucional. En: CLEGG, S. et al. (Org.). Handbook de Estudos Organizacionais. Vol. 1. São Paulo: Atlas.

Meyer, J. W., & Rowan, B. (1977). Institutionalized organizations: formal structure as myth and ceremony. American Journal of Sociology, 83(2), 340-363.

Moran, M. R., Souza, F. F. A., Boaventura, J. M. G., Marinho, B. L., & Fischmann, A. A. (2010). Alianças estratégicas: uma análise bibliométrica da produção científica entre 1989 e 2008. Revista de Ciências da Administração,12(27), 42-62.

Moretti, S. L. A., & Campanario, M. A. (2009). A produção intelectual brasileira em responsabilidade social empresarial sobre a ótica da bibliometria. Revista de Administração Contemporânea, 13(edição especial), 68-86.

Mota, F. P. B., Beck, C. G., Pereira, R. C. F., Lima, T. A. P., & Vale, S. C. (2010). Tudo novo ou tudo ‘de novo’? A utilização de teoria em estudos organizacionais brasileiros. VI Encontro de Estudos Organizacionais, Florianópolis, Santa Catarina.

Oliveira, D. L., Ferreira, E. P. S., Carneiro, A. F., Costa, R. F., & Porto, W. S. (2015). Sucesso de sistemas de informações na administração pública: proposta de um modelo exploratório. Future Studies Research Journal, 7(2), 63-95.

Oliver, C. (1991). Strategic responses to institutional processes. Academy of Management Review, 16(1), 145-179.

Rossetto, C. R., & Cunha, C. J. C. A. (1999). A importância dos stakeholders no processo de adaptação estratégica: um estudo de caso na indústria da construção civil. XXIII Encontro da ANPAD, Foz do Iguaçú, Paraná.

Rossoni, L. (2006). A dinâmica de relações no campo da pesquisa em organizações e estratégia no Brasil: uma análise institucional. 296f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba, 2006.

Scott, R. W. (1995). Institutions and organizations. Thousand Oaks: Sage.

Selznick, P. (1957). Leadership in administration: a sociological interpretation. Berkeley: University of California Press.

Simon, H. (1947). Administrative behavior: a study of decision-making processes in administrative organization. New York: MacMillan.

Tolbert, P. S., & Zucker, L. G. (1996). The institutionalization of institutional theory. In: Clegg, S., Hardy, C., & Nord, W. (Orgs.). London: Sage Publications.

Tolbert, S. P., & Zucker, L. G. (1999). A institucionalização da teoria institucional. In: Clegg, S., Hardy, C., & Nord, W. (Orgs.). Handbook de Estudos Organizacionais. Vol. 1. São Paulo: Atlas.

Vergara, S. C., & Carvalho Jr., D. S. (1995). Nacionalidade dos autores referenciados na literatura brasileira sobre organizações. XIX Encontro da ANPAD, João Pessoa, Paraíba.

Vieira, D. M., & Gomes, R. C. (2014). Mudança institucional gradual e transformativa: a influência de coalizões de advocacia e grupos de interesses em políticas públicos. Organizações & Sociedade, 21(71), 679-694.

Yoshida, N. D. (2015). Análise bibliométrica: um estudo aplicado à previsão tecnológica. Future Studies Research Journal, 2(1), 52-84.

Zittei, M. V., & Fernandes, F. C. (2015). E-serviços no governo eletrônico: análise bibliométrica de artigos internacionais. Future Studies Research Journal, 7(2), 43-62.




DOI: https://doi.org/10.24023/FutureJournal/2175-5825/2017.v9i3.262

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM




Copyright (c) 2018 Future Studies Research Journal: Trends and Strategies

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.