Female Entrepreneurship from the Perspective of Strategy as Practice and Institutional Theory

Flávia Oliveira Santos, José Ednilson Matos Júnior, Darlane Amorim Vieira, Eúde do Amor Cornélio, Felipe Borges de Santana

Abstract


The aim of this paper is to suggest a new theoretical perspective in studies on female entrepreneurship, more specifically, an analysis of the phenomenon from the perspective of Strategy as Practice and Institutional Theory. For that, a qualitative bibliographic research was carried out, in order to extract concepts that would make this analysis possible. A search was made on the CAPES Journals portal (CAFE / UFS) and on the Google Scholar platform, where 28 (twenty-eight) articles were selected from national and international, which helped the development of this study. As a result, it is highlighted that the analysis of female entrepreneurship under the lens of strategy as practice, brings the focus of observation to the strategist subject, thus contributing to the understanding of institutional practice, that is, an investigation that starts from the micro to the macro. This analysis is one of the main theoretical contributions of this study, strengthening a field of research still under construction. There is also a contribution to the field of Organizational Studies, because when understanding that entrepreneurship is a multidisciplinary and transdisciplinary phenomenon, it gives rise to data that provide new views on the nature and reality of the phenomenon studied.


Keywords


Female Entrepreneurship; Strategy as Practice: Institutional Theory

References


Andrade, L., Brito, M., Brito, V., & Baeta, O. (2016). Estratégia como prática: Uma análise das práticas ambientalistas da Universidade Federal de Lavras (UFLA). Revista de Gestão Social e Ambiental, 10(2), 02-18.

Canhada, D. I. D., & Rese, N. (2009). Contribuições da “estratégia como prática” ao pensamento em estratégia. REBRAE, 2(3), 273-289.

Carter, C., Clegg, S. R., & Kornberger, M. (2008a). SAP zapping the field. Strategic organization, 6(1), 107-112.

Carter, C., Clegg, S. R., & Kornberger, M. (2008b). So! apbox: editorial essays: Strategy as practice?.

Coraiola, D. M., Mello, C. M. D., & Jacometti, M. (2012). Estruturação da estratégia-como-prática organizacional: possibilidades analíticas a partir do institucionalismo organizacional. RAM. Revista de Administração Mackenzie, 13(5), 204-231.

Gerbran, M., & Nassif, V. (2010). Empreendedorismo feminino: em um mundo masculinizado, como as mulheres conquistam seu espaço. XIII SemeAd–Seminários em Administração.

Gimenez, F. A. P., Ferreira, J. M., & Ramos, S. C. (2017). Empreendedorismo Feminino No Brasil: Gênese E Formação De Um Campo De Pesquisa (Female Entrepreneurship in Brazil: Genesis and Formation of a Research Field). Gimenez, F., Ferreira, J., & Ramos, S.(2017). Empreendedorismo Feminino no Brasil: Gênese e Formação de Um Campo de Pesquisa. REGEPE-Revista de Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas, 6(1), 40-74.

Gomes, A. F., Santana, W. G. P., & Araújo, U. P. (2009). Empreendedorismo feminino: o estado-da-arte. ENANPAD-Encontro Nacional da ANPAD, 33.

Gouvêa, A. B. C. T., Silveira, A., & Machado, H. P. V. (2013). Mulheres empreendedoras: compreensões do empreendedorismo e do exercício do papel desempenhado por homens e mulheres em organizações. Revista de Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas, 2(2), 32-54.

Guerez, P., & da Silva Nogueira, E. E. (2016). O PROCESSO DE (DES) INSTITUCIONALIZAÇÃO DO MODELO EMPREENDEDOR MASCULINO: UM ENSAIO A PARTIR DA LENTE DA LINGUAGEM E COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL. In Anais do Congresso Brasileiro de Estudos Organizacionais.

Guerez, P. (2007). V CONGRESSO BRASILEIRO DE ESTUDOS ORGANIZACIONAIS (Doctoral dissertation, Universidade Positivo).

Jarzabkowski, P., & Wilson, D. C. (2004). Pensando e agindo estrategicamente: novos desafios para a análise estratégical. RAE, 44(4), 11-20.

Jarzabkowski, P., & Whittington, R. (2008). A strategy-as-practice approach to strategy research and education. Journal of Management Inquiry, 17(4), 282-286.

Jarzabkowski, P., & Paul Spee, A. (2009). Strategy‐as‐practice: A review and future directions for the field. International journal of management reviews, 11(1), 69-95.

Oliveira Junior, A. B. D., Gattaz, C. C., Bernardes, R. C., & Iizuka, E. S. (2018). Pesquisa em empreendedorismo (2000-2014) nas seis principais revistas brasileiras de administração: lacunas e direcionamentos. Cadernos EBAPE. BR, 16(4), 610-630.

Machado-da-Silva, C. L., Fonseca, V. S. D., & Crubellate, J. M. (2010). Estrutura, agência e interpretação: elementos para uma abordagem recursiva do processo de institucionalização. Revista de Administração Contemporânea, 14(SPE), 77-107.

Natividade, D. R. D. (2009). Empreendedorismo feminino no Brasil: políticas públicas sob análise. Revista de Administração Pública, 43(1), 231-256.

Ornellas, T. S. (2017). A produção de conhecimento sobre gênero e estudos organizacionais no Brasil: Uma análise dos últimos dez anos.

Sampaio, R. F., & Mancini, M. C. (2007). Estudos de revisão sistemática: um guia para síntese criteriosa da evidência científica. Brazilian Journal of Physical Therapy, 11(1), 83-89.

Souza, T. R. D. (2016). A tradução de práticas estratégicas por seus praticantes: estudo de casos múltiplos em consultorias sergipanas.

Suddaby, R., Seidl, D., & Lê, J. K. (2013). Strategy-as-practice meets neo-institutional theory.

Teixeira, R. M., & Bomfim, L. C. S. (2016). Empreendedorismo feminino e os desafios enfrentados pelas empreendedoras para conciliar os conflitos trabalho e família: estudo de casos múltiplos em agências de viagens. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, 10(1), 44-64.

Viana, M. F. (2016). Lógicas institucionais e estratégia como prática: uma abordagem construtivista (Doctoral dissertation, Tese de doutorado, Programa de Pós-graduação em Administração, Universidade Federal de Lavras, Lavras, MG, Brasil).

Vicenzi, S. E., & Bulgacov, S. (2013). Fatores motivadores do empreendedorismo e as decisões estratégicas de pequenas empresas. Revista de Ciências da Administração, 15(35), 208-221.

Weick, K. E. (1995). Sensemaking in organizations (Vol. 3). Sage.

Whittington, R. (1996). Strategy as practice. Long range planning, 29(5), 731-735.




DOI: https://doi.org/10.24023/FutureJournal/2175-5825/2020.v12i3.512

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM




Copyright (c) 2020 Future Studies Research Journal: Trends and Strategies

Future Stud. Res. J. e-ISSN: 2175-5825

Mailing Address: Avenida Drª Ruth Cardoso, 7221 - CEP 05425-070 - Pinheiros - São Paulo/SP - Brasil

The publications of this journal are licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.