Assessoria Secretarial: Atuação na Atualização da Matriz Curricular do Curso de Graduação de Ciências da Administração de uma IES Pública Federal

Amanda Cristina Grasel, Cibele Barsalini Martins, Katia Denise Moreira, Maria Gabriela Gheller, Altieres de Oliveira Silva

Abstract


Nas últimas décadas a globalização incutiu profundas mudanças no mercado de trabalho e essa nova realidade pressionou as Instituições de Ensino a formularem suas matrizes curriculares com uma frequência maior, para atender as novas demandas inerentes a formação profissional do acadêmico. Dessa maneira, este estudo tem como objetivo verificar como o profissional de Secretariado Executivo pode assessorar a Coordenação do curso de graduação em Ciências da Administração da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), na atualização do Currículo do curso.  No que se refere aos métodos e técnicas de pesquisa, o estudo adota a abordagem qualitativa e é descritivo quanto aos objetivos. No que se refere à estratégia é um estudo de caso, que utilizou como técnicas de coleta de dados a bibliográfica, a documental e a observação participante. O processo de assessoria foi realizado, em quatro etapas, a quais tinham como objetivo comparar matrizes curriculares de cursos de graduação em administração de excelência com a matriz do curso de administração da UFSC, a fim de identificar elementos diferenciadores. Ao fim dos trabalhos identificou-se que a matriz curricular não pode ser utilizada como base única para atualização do curso da UFSC, visto que, não foram encontradas diferenças consideráveis entre os currículos. Desse modo, acredita-se que o fato de as demais Instituições estarem ranqueadas com pontos superiores aos da UFSC, deve-se a uma combinação de fatores, dentre os quais pode ou não estar incluída a questão da matriz curricular.


Keywords


Assessoria Secretarial; Matriz Curricular; Administração.

Full Text:

Portuguese Version

References


ADMINISTRADORES.COM. Administração é o maior curso do Brasil em número de ingressantes, aponta INEP. 6 out. 2016. Disponível em: . Acesso em: 20 dez. 1016.

Barella, T. (2015). Estrutura e funcionamento do ensino superior brasileiro – Paulo Nathanael P. Souza. SCRIB. Recuperado em 10 de dezembro de 2016, de https://pt.scribd.com/doc/61089595/Estrutura-e-Funcionamento-Do-Ensino-Superior-Brasileiro-1

Bertero, C. O. (2006). Ensino e pesquisa em Administração. GVPesquisa. Recuperado em 10 de outubro de 2016, de http://gvpesquisa.fgv.br/sites/gvpesquisa.fgv.br/files/publicacoes/Ensino%20e%20Pesquisa%20em%20Administra%C3%A7%C3%A3o.pdf

Braga, G. B., Olher, B. S., Reis, F. N. S. C., & de Oliveira, A. R. (2011). Análise da formação curricular dos cursos de administração oferecidos por instituições federais na zona da mata mineira à luz da resolução CNE/CES n 4-de 13 de julho de 2005. Revista Administração em Diálogo-RAD, 13(3).BRASIL. Recuperado em 10 de outubro de 2016, de https://revistas.pucsp.br/index.php/rad/article/viewFile/7796/5688

Brasil. Decreto n.º 3.860, de 9 de julho de 2001. Brasília, 2001. (2001). Recuperado em 10 de outubro de 2016, de https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/2001/d3860.htm

Brasil. Resolução n.º 4, de 13 de julho de 2005. (2005). Recuperado em 15 de dezembro de 2016, de http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rces004_05.pdf

Brun, A.; Cechet, G., & Neumann, S. (2012). Gestão secretarial: a evolução das funções do profissional de secretariado e a efetividade da inteligência emocional nos processos de trabalho. Secretariado executivo em revist@, Passo fundo, v. 8, n. 8, p. 36-51. Recuperado em 17 de dezembro de 2016, de http://www.upf.edu.br/seer/index.php/ser/article/view/3024/2030

Caldas, J. B., & Santos, M. F. S. As ferramentas da prática da gestão secretarial utilizadas pelos profissionais de secretariado executivo egressos na Universidade do Estado do Pará. Revista do Secretariado Executivo, Passo Fundo, n. 8, p. 62-74, 2012. Recuperado em 17 de dezembro de 2016, de http://www.seer.upf.br/index.php/ser/article/view/3026/2032

Camargo, M., Warmuth, D., Maito, E. A., & Angnes, J. S. (2015). O perfil do profissional de secretariado executivo frente às organizações que praticam a responsabilidade social. Revista Capital Científico-Eletrônica (RCCҽ)-ISSN 2177-4153, 13(2), 96-111.

Conselho Federal de Administração. (2016). História da Profissão. Recuperado em 10 de setembro de 2016, de http://www.cfa.org.br/administracao/historia-da-profissao

D’Elia, M. E. S. Perfil atual do profissional do secretariado. 2000. Recuperado em 10 de setembro de 2016, de http://www.fenassec.com.br/c_artigos_perfil_atual_profissional_secretariado.html

Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas. História. (2016). Recuperado em 9 de outubro de 2016, de http://ebape.fgv.br/institucional/historia

Faria, D. A. A., & Pacheco, F. L. (2013). O secretário executivo e a tomada de decisão em uma instituição de ensino superior do estado de Sergipe. Revista de Gestão e Secretariado, v. 4, n. 1, p. 104-125, 2013. Recuperado em 9 de outubro de 2016, de https://www.revistagesec.org.br/secretariado/article/view/141/pdf

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas.

Gil, A. C. Como classificar as pesquisas? (2012). Recuperado em 8 de dezembro de 2016, de http://www.ngd.ufsc.br/files/2012/04/ric_CLASSIFICAPESQUISAGIL.doc

Jesus, A. R. D. (2008). Currículo e educação: conceito e questões no contexto educacional. PUCPR. Recuperado em 6 de dezembro de 2016, de http://www.pucpr.br/eventos/educere/educere2008/anais/pdf/642_840.pdf

Lemos, D. C., & Bazzo, W. A. (2011). Administração como uma ciência social aplicada: integrando ciência, tecnologia e sociedade no ensino de administração. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, v. 5, n. 3, p. 1-14. Recuperado em 6 de dezembro de 2016, de http://www.redalyc.org/html/4417/441742843001/

Lima, M. A. D. D. S., Almeida, M. C. P. D., & Lima, C. C. (1999). A utilização da observação participante e da entrevista semi-estruturada na pesquisa em enfermagem. Revista Gaúcha Enfermagem, Porto Alegre, v. 20, n. esp., p. 130-142, 1999. Recuperado em 13 de dezembro de 2016, de http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/23461/000265980.pdf?sequenc

Mata, M. A. (2009). O papel do secretário executivo na estrutura organizacional e na condução das relações humanas. In Portela, K. A.; Schumacher, A. Gestão secretarial: o desafio da visão holística. Cuiabá: Adptus,.

Monteiro, C.; Cecatto, Q. C., & Gardin, D. A. O. (2015). O profissional de secretariado e a responsabilidade socioambiental: a importância da assessoria executiva. Revista de Gestão e Secretariado, v. 6, n. 2, p. 134-157. Recuperado em 13 de dezembro de 2016, de http://www.redalyc.org/html/4356/435643524007/

Morais, C. M. M. (2005). Escalas de Medida, Estatística Descritiva e Inferência Estatística. Recuperado em 13 de dezembro de 2016, de https://bibliotecadigital.ipb.pt/bitstream/10198/7325/1/estdescr.pdf

Neves, C. E. B. (2012). A estrutura e funcionamento do ensino superior no Brasil. Construindo um aprendizado. Recuperado em 13 de dezembro de 2016, de https://construindoumaprendizado.files.wordpress.com/2012/11/a-estrutura-e-o-funcionamento-do-ensino-superior-no-brasil.pdf

Nicolini, A. M. (2003). Qual será o futuro das fábricas de administradores? RAE, São Paulo, v. 43, n. 2, p. 44-54, abr./maio/jun. 2003. Recuperado em 10 de setembro de 2016, de http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0034-75902003000200003&script=sci_arttext

Nonato Júnior, R. (2009). Epistemologia e teoria do conhecimento em secretariado executivo: a fundação das ciências da assessoria. fortaleza: expressão gráfica.

Oliveira, a. l., Lourenço, C. D. S., & Castro, G. C. (2015). Ensino de administração nos EUA e no Brasil: uma análise histórica. Revista Pretexto, v. 16, n. 1, p. 11-22. Recuperado em 10 de setembro de 2016, de http://www.fumec.br/revistas/pretexto/article/view/1830

Ordorika, I., & Gómez, R. R. (2010). El ranking Times en el mercado del prestígio universitario. Perfiles Educativos, v. XXXII, n. 129, p.8-22. Recuperado em 13 de dezembro de 2016, de http://www.scielo.org.mx/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0185-26982010000300002

Pinto, V. R. R., & Motter Júnior, M. D. (2012). Uma abordagem histórica sobre o ensino da administração no Brasil. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, v. 6, n. 4, p. 1-28, 2012. Recuperado em 10 de setembro de 2016, de http://www.redalyc.org/pdf/4417/441742847002.pdf

Sacristán, J. G. (1999). Poderes instáveis em educação. Tradução de Beatriz Affonso Neves. Porto Alegre: Artmed.

Scherer, C., Rempel, C., Martins, S. N., & Haetinger, C. (2012). Importância de um secretário executivo no preenchimento do aplicativo coleta de dados Capes. Revista de Gestão e Secretariado, 3(1), 54. Recuperado em 20 de dezembro de 2016, de https://search.proquest.com/openview/f20ce581b2f527c39512622f610e91c5/1?pq-origsite=gscholar&cbl=1686336

Silva, M. R., & Fischer, T. (2008). Ensino de Administração: um estudo da trajetória curricular de cursos de graduação. In XXXII ENCONTRO DA ANPAD, Rio de Janeiro.

Silva, T. T. D. (2007). Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica.

Souza, E. X. D., Salgueiro, M. A. D. A., & Silva, D. S. D. (2013). Estudo comparativo das matrizes curriculares das IES de Alagoas frente ao resultado do Exame de Suficiência para Contadores. Convibra. Recuperado em 20 de dezembro de 2016, de http://www.convibra.com.br/upload/paper/2013/81/2013_81_6962.pdf

Yin, R. K. (2001). Estudo de caso: planejamento e métodos (2a ed., D. Grassi Trad.). Porto Alegre: Bookman. (Obra original publicada em 1984).




DOI: https://doi.org/10.24023/FutureJournal/2175-5825/2018.v10i1.320

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM




Copyright (c) 2018 Future Studies Research Journal: Trends and Strategies

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Future Stud. Res. J. e-ISSN: 2175-5825

Mailing Address: Avenida das Nações Unidas, 7221 - CEP 05425-070 - Pinheiros - São Paulo/SP - Brasil

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.